sábado, 10 de dezembro de 2016

Para ler.



Cainara Biondo, (Escritora).







Lara Sams, personagem central do livro: (Segredos Mortais, da minha amiga e talentosa Cainara Biondo), nos leva através de uma narrativa eletrizante a conhecer seu universo cheio mistérios. E como o próprio nome da trama diz, segredos.
Uma estória apaixonante que nos faz viajar  em mistérios, que envolvem, anjos, vampiros e bruxos. Com muita aventura e claro um romance impossível entre Lara e Leiael.
Indico essa leitura que só engrandece nossa literatura nacional de fantasia!








Segredos Mortais
Autora: Cainara Biondo
Editora: Autografia
256 Páginas.



"Os primeiros raios de luz invadiram meu quarto por entre as frestas da janela. O que me deixava irritada, sempre preferi a escuridão. A noite contém um silêncio especial, pelo menos para mim".


(Lara Sams, começando a narrativa de sua aventura).



terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Bate papo com Eddie Coelho






O ator Eddie Coelho empresta seu talento para a publicidade, o cinema, o teatro e a televisão. Depois de enfrentar um teste com algumas dezenas de atores (maiores detalhes na entrevista), ele está no ar, fazendo um belo trabalho, interpretando o Inácio. Personagem do mais novo sucesso do SBT, a novela: "Carinha de Anjo". Muito gentilmente ele cedeu essa entrevista ao Blog, que na verdade foi um agradável patê papo.




 
 

 
Eddie Coelho (Ator).

 

Ricardo Netto -Como foi o início de sua carreira como ator?

Eddie Coelho - Comecei de fato seguir teatro aos 18 anos, antes tive experiências escolares que me despertaram o interesse. Entrei para um grupo pequeno, chamado Happy End na minha cidade, Itanhaém, e depois de algumas apresentações acabei sendo convidado para um grupo maior o C.E.T.A. (Companhia Experimental de Teatro Amador). Lá realizamos algumas peças e depois acabei procurando outros grupos na cidade vizinha. Deixei esse sonho de lado, para poder trabalhar e passei um tempo trabalhando em diversas outras funções, até que acabei entrando em um concurso público na cidade de Mongaguá. Trabalhei como monitor de teatro para adolescentes e idosos, então recebi o chamado à profissão novamente, depois de 5 anos, pedi exoneração do meu cargo e vim morar em São Paulo para correr atrás desse sonho. Trabalhei como figurante durante 2 anos até que a primeira oportunidade como protagonista de um comercial apareceu, foi um comercial para Caixa Econômica e eu fui aprovado logo no primeiro teste, depois disso não parei mais.



 

Ricardo Netto - Já ouvi alguns atores e atrizes reclamarem que o mercado de trabalho para atores negros aqui no Brasil ainda é muito restrito. Qual sua opinião sobre esse assunto?

Eddie Coelho - Não precisa ouvir, é só ligar a TV, ir ao cinema. Fazer o teste do pescoço como costumamos dizer, olhe para o lado, conte quantos negros tem em locais de destaque. Mas ainda, infelizmente, é uma realidade, o negro não se vê representado na mídia, no cinema e isso eu acredito ser uma questão de senso comum. Se um roteirista não escreve para um ator negro, a produtora de elenco e o diretor irão seguir o que eles consideram comum, dentro de suas experiências, e como será essa experiência se esses profissionais receberam toda informação necessária para formar suas visões artísticas, dessa mídia racista? Complicado não?

Então eles replicarão esse racismo nos seus trabalhos, escolhendo sempre princesas brancas, pois não está no roteiro a obrigatoriedade desse perfil. E quando está escrito, ele nunca tem família, e quase sempre, vem nesses estereótipos, negro bandido, negro sarado, negro empregado, e por aí vai.

Mas eu acredito que estamos no caminho, estou dentro de uma empresa que se preocupa muito com isso e meu personagem é o reflexo desse pensamento. Trataremos do assunto, sem coitadismo ou didatismo, mas indo direto ao ponto, é errado e pronto!

Mas há muito o que mudar, principalmente para as atrizes negras!

Ricardo Netto - Você transita muito bem entre o mundo publicitário, cinema, teatro e TV. Qual a real diferença entre esses universos?

Eddie Coelho - Nos comerciais você tem uma atuação mais “bate pronto”, um texto curto que precisa ser convincente, pois estou ali servindo como vendedor daquele produto. Então o produto final precisa estar (não que sempre acabe ficando) perfeito. No cinema, não tive grandes experiências, forma algumas participações mais consegui sentir que o clima é muito artístico, os planos são cuidadosamente planejados, valorizando luz, atuação, enfim.

Na TV a grande diferença é o tempo, não temos! Posso apenas falar da minha atuação, nem sempre acho que foi a melhor que eu podia ter feito, mas não temos tempo de voltar e tentar refinar, então ainda que não esteja satisfeito com aquela cena específica, para o produto final, está ótima.

 

Ricardo Netto - Falando agora sobre seu mais novo trabalho. Como foram os testes para participar da nova novela do SBT, “Carinha de Anjo”?

Eddie coelho - Foi bem concorrido, tivemos mais de 40 homens negros no dia, testando para o Inácio. Todos meus amigos de profissão, coisa essa que reflete na pergunta anterior, quase sempre não se tem atuação com amigos, pois estamos sempre concorrendo uns com os outros.

Mas foi um teste curioso, pois eu fiz tudo o que a produtora de elenco não pediu! Eu tinha apenas de me sentar na frente do Jean Paulo (Zeca) e conversar com ele, mas eu mudei tudo, pedi para ele se sentar ao meu lado, virei de costas para a câmera, enfim, um desastre. A produtora veio e disse que estava bem legal, mas não era nada do que ela havia pedido, então refizemos o teste, mas eu já achava que não ia rolar.

A angustia acabou quando me ligaram, depois de 2 meses, dizendo que havia passado.


 
 
Elenco da novela Carinha de Anjo

 
 
 
 
 
 
 
Com o talentoso Jean Paulo.





Ricardo Netto - Existe uma expectativa diferente quando se trabalha para o público infantil?

Eddie Coelho - Não, pelo menos não de mim, eu faço um trabalho sempre esperando que seja agradável ao público seja ele qual for, é claro que as crianças acabam viajando com a gente e isso é muito gostoso, mas o esperado, sempre é que consiga fazer um bom trabalho para aqueles que se dispuseram a perder um tempo me assistindo!



Ricardo Netto - Fale um pouco sobre o Inácio, o que ele tem de parecido e de diferente de você?

Eddie Coelho - O Inácio é uma pessoa maravilhosa, um pai amoroso, trabalhador e preocupado com sua família. Ele queria ser cantor de música sertaneja, mas por ser pobre e negro e ter pouco estudo, não conseguiu. Então se casa e tem um filho o Zeca, mas a mãe desse menino acaba falecendo e ele se vê sozinho. Então aparece a Diana na vida dele e eles tem um filho, o Zé Felipe. Quando o Zeca cresce demostra habilidade para musica então o Inácio, enxerga aí a chance de realizar o sonho que não pode realizar para si.

O Inácio se parece comigo no otimismo, estou sempre vendo o lado positivo das coisas.

No lado negativo, sou tão sonhador como ele e um tanto quanto ingênuo no que se refere a acreditar nas pessoas, nunca consigo falar não!


Ricardo Netto - Qual o segredo para compor um bom personagem?

Eddie Coelho - Fazer com a sua verdade, por isso um ator precisa se alimentar de coisas boas, música, cinema, literatura. Essas coisas acrescentarão mais camadas as suas experiências e isso com certeza o ajudará na composição de um personagem crível.




Ricardo Netto - Eddie Coelho em uma frase:

Eddie Coelho - Determinação.

Ricardo Netto - Você é muito ativo nas redes sociais. Vamos usar esse espaço, para divulgar seus trabalhos na internet?

Eddie Coelho - Podem acompanhar meus trabalhos no meu VIMEO, Facebook e Instagram.




Sessão Ping-pong:

Uma frase: Não disseram que era impossível, ele foi lá e fez.

Um livro: O senhor dos Anéis.

Um sentimento: Empatia.

Trabalho é? Diversão.

Família é? Para onde você olha quando chega no pódio!
 
 
Obs: Imagens da Internet

 

Para refletir.


 

Respingos do passado.

 
Lendo alguns artigos e textos sobre a idade média, que será o cenário do meu próximo trabalho como escritor. Me deparei com “A Santa Inquisição”. Isso me levou a pensar sobre a intolerância religiosa que levou ao derramamento de sangue de centenas de pessoas e infelizmente, respinga em nossos corpos até os dias de hoje.
A Idade das trevas infelizmente ainda está presente em cada atitude nossa em relação ao próximo, camuflada em forma de um respeito hipócrita, que ainda, como um fantasma nos faz pensar que somos melhores por praticarmos determinada fé que não é a do outro.
Sou agnóstico por vários motivos particulares, mas também não me eximo quando me deparo com a palavra respeito.
Muito se fala em aceitar as diferenças nos dias de hoje, porém, muito pouco se faz de fato.
A fé, seja ela qual for não pode ser usada para separar as pessoas. Mas infelizmente desde os primórdios da religião mais antiga da humanidade, ela, a fé, sempre foi usada para o acumulo de poder e riqueza. Para impor o medo e controlar a massa. Não quero aqui discutir temas teológicos, mas apenas parar um segundo para refletir sobre o que a sua crença, ou a falta dela, causa no próximo.

 

 

 Música: Guerra Santa - Gilberto Gil - Álbum (Quanta). 





Ele diz que tem, que tem como abrir o portão do céu
ele promete a salvação
ele chuta a imagem da santa, fica louco-pinel
mas não rasga dinheiro, não

Ele diz que faz, que faz tudo isso em nome de Deus
como um Papa na inquisição
nem se lembra do horror da noite de São Bartolomeu
não, não lembra de nada não

Não lembra de nada, é louco
mas não rasga dinheiro
promete a mansão no paraíso
contanto, que você pague primeiro
que você primeiro pague dinheiro
dê sua doação, e entre no céu
levado pelo bom ladrão

Ele pensa que faz do amor sua profissão de fé
só que faz da fé profissão
aliás em matéria de vender paz, amor e axé
ele não está sozinho não

Eu até compreendo os salvadores profissionais
sua feira de ilusões
só que o bom barraqueiro que quer vender seu peixe em paz
deixa o outro vender limões

Um vende limões, o outro
vende o peixe que quer
o nome de Deus pode ser Oxalá
Jeová, Tupã, Jesus, Maomé
Maomé, Jesus, Tupã, Jeová
Oxalá e tantos mais
sons diferentes, sim, para sonhos iguais
 
 
 
Imagem da internet.
 
Letra: Site Vaga Lume

 
 

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Personas e personagens by Raphael Montagner

Raphael Montagner. (Ator)




Jovem promissor dessa nova geração de atores, Raphael Montagner aos 32 anos de idade já tem uma carreira consolidada no teatro e na televisão. Com trabalhos realizados anteriormente no SBT e agora no ar, interpretando o Tomás na Novela Escrava Mãe ( do autor Gustavo Reiz), na Rede Record. Ele muito gentilmente, cedeu seu tempo para nos prestigiar com uma entrevista incrível.





 
 
 
 

Seu atual personagem na novela: Escrava Mãe:

 
#EscravaMãe
 
 
Filho do meio do coronel QUINTILIANO (LUIZ GUILHERME), TOMÁS é um rapaz simpático e carismático, comunicativo e agradável.
Irmão da rebelde FILIPA (MILETA TOSCANO) e o oposto do irmão GUILHERME (ROGER GOBETH). Idealista, nunca se envolvera com os negócios da família.
É crítico quanto ao modo de produção vigente e a crueldade do tráfico de escravos.
TOMÁS é um abolicionista em potencial e desenvolverá seus pensamentos com o melhor amigo, o jornalista ÁTILA (LÉO ROSA), em reuniões secretas no armazém de Seu CONTENTE (CÉSAR PEZZUOLI).
Gosta de ler e conhece as histórias; usa as palavras como armas de sedução.
Conquistador nato, TOMÁS viverá envolvido em confusões amorosas, sendo um verdadeiro Casanova da Vila.
Envolve-se com mulheres casadas, solteiras, novas e velhas, o que lhe rende boas confusões e noites na cadeia. Vai se apaixonar de verdade por REBECA (MARIZA MARCHETTI), com quem viverá um triângulo amoroso com ÁTILA, seu melhor amigo.

 
 

Em cena com o ator Português Pedro Carvalho, na novela Escrava Mãe. 

 

 

Entrevista para o Blog Misturando Letras:

 

Ricardo Netto – Como começou seu interesse pelo mundo da atuação?
Raphael Montagner - O mundo da "atuação" o de ser contador de história , veio ao acaso , sem pretensão a 13 anos . Em uma oficina de teatro amador no Teatro Dias Gomes , lá pode se dizer que fui "picado" pelo bichinho do teatro.
 
Ricardo Netto – Como surgiu a oportunidade de interpretar (o Diogo) seu primeiro personagem na TV, na novela Amigas e Rivais do SBT?
Raphael Montagner - A televisão veio ao acaso também. Hoje um irmão , Fernando Rancoleta ,foi assistir a uma peça e me chamou para um teste , desde então , a mais ou menos uns seis anos , trânsito pelo meio televisivo , deixando meu recado em minha arte.
 
Ricardo Netto - Na sequencia você interpretou o Marcelo, na novela Revelação da Iris Abravanel, fale um pouco sobre este personagem.
Raphael Montagner - Bom ... primeiro que faz muito tempo (risos), e não lembro direito , mas acredito que a cada novo "filho" um novo caminho a ser trilhado e descoberto . O importante na arte é ser feliz no processo , no caminhar, para contar a história proposta.
 

Ricardo Netto - Você participou como ator na peça: (O colecionador de crepúsculos) e depois passou para uma co-direção em outra peça, (O meu amigo pintor). Qual a diferença entre essas duas funções (Atuar e dirigir).
Raphael Montagner - Poxa esse foi uma fase , com o meu amado amigo e professor Vladimir Capella já falecido, aonde na realidade descobri o teatro , aonde a arte se apresentou . Na realidade , sempre foquei na interpretação , mas com ele , diria que me proporcionou várias outras experiências para compor o quadro geral , de entender a operar a luz a como seria a visão de um diretor . Sempre visando aprimorar a interpretação.
 
Ricardo Netto - Em 2013 você estreou a novela Dona Xepa (Fazendo o Leandro), na Rede Record. Como foi essa transição de uma emissora para a outra?
Raphael Montagner - Então Netto , a arte de interpretar em frente as câmeras é igual em qualquer emissora ( no seguimento de teledramaturgia ) o que muda acredito são as relações com as pessoas e a política interna da empresa e seus valores agregados. Eu sempre fiz o " meu papel" dando sempre o meu melhor.
 


Ricardo Netto - O Enzo Aguiar da Novela Vitória foi um personagem diferente, por tratar sobre assuntos como preconceito e neonazismo. Fale o que esse personagem tão diferente te ensinou como lição de vida?
Raphael Montagner - Olha como lição de vida não diria, mas sim uma ampliação do que eu já sabia sobre esse universo do Neo-Nazi . Mas sempre internamente , a cada personagem , no caso da dramaturgia , aonde vc trabalha com a repetição diária , diria o inédito viável.
Link de uma das cenas da novela Vitória (Rede Record):
 
 
 

 
 
Ricardo Netto - Quanto tempo durava o processo de impressão de tatuagens para compor o Enzo?
Raphael Montagner - Em média uma hora antes das gravações. Eram 22 tatuagens.
 
Ricardo Netto - Escrava Mãe da Record em parceria com a Casablanca, te colocou na posição de galã com o conquistador e abolicionista Tomás, o que você acha desse rótulo que alguns atores carregam em suas carreiras?
Raphael Montagner - Acredito que somos visto pelo mercado como produto , pois trabalhamos muito com O esteriótipos, mas não sou considerado apesar da aparecia , somente um galã, e nem que eles me concederam somente , foi apenas um trabalho oposto do outro , que graças a estas oportunidades construo uma carreira diferencia , sem a repetição do mesmo . Agora se um futuro próximo ou distante for levado a isso ok tb , sem problemas.
 
Ricardo Netto - Você está em um projeto novo, pode nos falar a respeito?
Raphael Montagner - Estou agora na fase de composição e entendimento de um novo personagem , vou fazer agora O Rico e o Lázaro , vai ser ambientado na época de 605AC , irei fazer o Nicolau filho mais novo da família. Muito Legal sair de um trabalho de 1800 para 605 a.C.






Ricardo Netto – Raphael Montagner em uma frase.
Raphael Montagner - Guiado pela batida do coração.
 
 
 
 
 
 
 
O Blog Misturando Letras e o Ator Raphael Montagner apoiam o Projeto Vibrar Parkison.
 
 

"Informação é o melhor remédio".

 

 
 
 
 
 
Obs: todas as informações e imagens foram gentilmente cedidas pelo ator  Raphael Montagner.
 
 
 
 
Esta entrevista teve o apoio cultural da Real Vita Produtos Naturais.
 
 
 
 
 

 

 
 
 
 
 

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Sinópse do livro: Os senhores das sombras - O legado de Lilith.

Deuses, anjos, elfos, vampiros e humanos dividem uma trama que tem seu ponto de partida com a revolta iniciada por Ben-Shakar e seu exército de rebeldes.
Parte do princípio da luta do bem contra o mal , passando pelo pecado original iniciado pela primeira mulher criada pelos Elohins: (Lilith).
Enviada para a cidade sagrada dos elfos (Galmatama), ela é trancafiada em uma gruta de cristais, onde deveria ficar presa para toda a eternidade, por ter experimentado os frutos proibidos do Édem.
Porém por uma falha, Lilith é solta causando a degradação da raça humana. Amaldiçoada pelos deuses ela é condenada a tornar-se uma serpente a cada cem anos de sua eterna existência. Na forma humana, ela necessita de sangue para a sua sobrevivência, tornando-se assim a primeira de todos os vampiros.
Os mais variados tipos de personagens surgem para completar a trama que na verdade é um grande quebra-cabeças, onde amor, ódio, vingança, guerra e conflitos milenares e particulares, aparecem durante toda a história em uma junção de universos singulares que se unem para levar a um final surpreendente.
O amor pode mudar o destino?






 
 
Imagens da Internet.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Os senhores das sombras - Personagens centrais.



Agradecimentos aos amigos do Planos & Fugas, pela criação da vinheta de abertura do meu canal do youtube.

Lançamento do livro.

Depois de mandar os manuscritos originais do livro, devidamente registrado na Biblioteca Nacional, Fiquei no aguardo da resposta da Editora Multifoco, uma resposta que teve a duração de mais ou menos um mês.
Com o aval positivo começamos os acordos sobre contratos, escolhas da capa, correção do texto entre outras coisas que envolvem a criação de um livro físico.
Finalmente, Os senhores das sombras - O legado de Lilith, foi oficialmente lançado na loja do Habbib's da Rua: Domingos de Moraes, no dia 31 de outubro de 2015, com início às 14:00 hs. Um evento que contou com a presença de pessoas especiais entre amigos e familiares.


















Entrevistas.

A primeira pessoa da internet que se interessou pelo meu trabalho foi o blogueiro Crisberg Luan, dando a oportunidade de fazer minha primeira entrevista. segue abaixo o link:
Conheci o Crisberg em uma página antiga minha no twitter, trocamos algumas ideias e ai surgiu o interesse dele pelo meu livro.

http://febredelivro.blogspot.com.br/2015/09/entrevista-ricardo-netto.html




Na sequencia, conheci a encantadora Camila Bernardini pelo facebook, na época ela escrevia para a Coluna Entrelinhas, no site: Machos Fera. Rolou mais uma bela entrevista na página do site.


http://www.machosfera.com.br/2016/02/entrelinhas-entrevista-com-o-escritor.html





Mais recentemente fui convidado pelos amigos Sirlei Salete e Nicko Silva para uma outra entrevista, dessa vez na Web TV Cinec, no extinto programa: 4Ever Nigth. foi uma experinência inesquecível.





 
 
 
 
 
Fechando o ano de 2016, mais uma entrevista. Agora para o site da revista Conexão Literatura.
 
 
 
 

 
 
Quer ver essa entrevista na revista Conexão Literatura?  Baixe de graça a edição desse mês.
 
 
 

Postagem em destaque

Trecho do livro: Os senhores das Sombras - O legado de Lilith.

Capítulo Um   Enzo   Ouvia vozes distantes e desconhecidas, sua consciência não permitia entender o que acontecia à sua volta....